segunda-feira, 2 de maio de 2011

Biomédico: Desenvolvimento de Metodologias Analíticas na Indústria


Durante o processo de Desenvolvimento de Metodologia Analítica deve-se considerar quatro fatores importantes: a reprodutibilidade, a sensibilidade, o custo e a segurança. Na busca pela qualidade total, na qual o mercado ainda está inserido, a indústria e seus funcionários devem estar aptos a se adequarem a novas metodologias, caso estas não existam no local de trabalho, não sejam práticas ou não sejam seguras. Em qualquer um dos casos descritos anteriormente ou outro que não fora citado, mas seja motivo para implantação de nova metodologia, este deve ajustar-se a reprodutibilidade, sensibilidade, custo e segurança.

Ao implantar uma nova metodologia analítica é necessário demonstrar condições de operar esses métodos não normalizados (do próprio laboratório mesmo) ou métodos normalizados (por organismos próprios de normalização, organizações reconhecidas dentro da área, livros, ou outro de grande aceitação na comunidade científica). É necessário avaliar o local de instalação antes da implantação, e ter conhecimento das coisas mais simples como, por exemplo, vidrarias de precisão em um laboratório e assim todos os equipamentos que compõem este local e qual a utilidade dos mesmos.

A segurança, dentre os quatro itens citados, é a única que por vezes é deixada de lado, mas os outros três fatores estão sempre presentes. Por outro lado quem falha ao não pensar na segurança - que é de extrema importância - gasta mais, logo, se pensasse, veria que seu custo acaba sendo maior (ausência de funcionários por acidentes de trabalho, processos indenizatórios, entre outros).

O custo, na realidade a redução de custos, é assunto prioritário em qualquer empresa. Mas é necessário avaliar bem as opções, pois o barato, em segurança, nem sempre é a melhor e mais confiável opção. Às vezes é preciso gastar mais para ter segurança, sensibilidade, qualidade, confiabilidade. E a praticidade também precisa ser avaliada, porque não adianta todos estes critérios se os mesmos gerarem protocolos burocráticos, atrasando a produção e consequentemente fragilizando a empresa diante de seus concorrentes.

A reprodutibilidade é o número de vezes em que uma amostra foi medida ou observada pela mesma pessoa/instrumento ou por diferentes pessoas/instrumentos (laboratoristas, técnicos e etc), e todos puderam observar o mesmo valor desta amostra, mantidas as mesmas condições. Sem ela que garantias podem ser dadas aos clientes, compradores? Cada vez que se compra o produto ele tem que ser exatamente igual.

É a sensibilidade que vai mostrar o quão sensível são, ou não, os equipamentos ou os métodos utilizados na indústria, para determinação de positividade de amostras, por exemplo, ou até mesmo para simples pesagem. De nada adianta uma balança analítica com duas casas somente, sendo que são necessárias após a vírgula umas quatro casas decimais para que se tenha exatidão e precisão do que se está fazendo. Um erro de cálculo aqui prejudica um trabalho inteiro. A não ser que a empresa sempre trabalhe no caso com uma margem de erro de x%.

Independente da área de atuação, vários processos contra uma indústria ou um laboratório podem sair, por exemplo, por exames com laudos errados, os falso-positivos, ou ainda troca de resultados.

Enfim, a metodologia analítica cria na empresa um ambiente propício para o desenvolvimento de processos, visando sempre o melhor resultado para a organização.

Na disciplina “Práticas Industriais” ministradas pelo Farmacêutico Industrial e Doutor André Bellin Mariano, o acadêmico de Biomedicina tem o contato com experiências reais vivenciadas na Indústria e pode aprimorar os seus conhecimentos antes de terminar a graduação.

Autora: Maria Julia Yanagui Pinheiro, acadêmica de Biomedicina
Orientador: Prof. André Bellin Mariano, D.Sc.



Nenhum comentário:

Postar um comentário