segunda-feira, 2 de maio de 2011

Biomédico: Avaliação do Atleta e Sedentário


Para começar algum esporte, é muito importante realizar testes e exames para garantir sua saúde e bem-estar. Antes de começar a praticar alguma atividade física de alta intensidade é necessário agendar uma consulta com um médico especialista em medicina esportiva ou fisiologia do exercício, que irá analisar o seu histórico de atividades físicas, doenças de seus antecedentes familiares, lesões pré-existentes e objetivos no esporte. Os primeiros exames recomendados são o ergométrico ou o ergoespirométrico, também chamado de cardiopulmonar.

O ergométrico vai avaliar a condição e o risco cardiovascular, o ergoespirométrico analisa a capacidade aeróbia máxima e identifica os limiares ventilatórios, necessário para avaliar depois a evolução da potência aeróbica. Esses exames irão medir a pressão arterial, a freqüência cardíaca, a postura e sintomas como cansaço, falta de ar e dor no peito, detectar o consumo máximo de oxigênio (VO2 MÁX) e o limiar anaeróbio, que indica as zonas ideais para treinamento aeróbio. Esse exame também é solicitado para pessoas com menos de 30 anos de idade para verificar a presença de fatores de risco para doenças cardíacas, obesidade, hipertensão, tabagismo, estresse, colesterol e diabetes, identifica isquemia miocárdica, diminuição do fluxo de sangue arterial para determinada região do corpo, que pode causar infarto, e doenças coronarianas, verifica a manifestação hipertrofia miocárdica, em que o coração se auto-obstruiu ao fazer esforço. Paralelamente aos exames de esforço, o ecocardiograma e os exames laboratoriais de sangue também são podem ser solicitados. A partir do resultado de todos esses testes, é possível definir intensidade, volume, tempo e a distância do treino.

No nosso dia a dia, nem sempre podemos contar com esses exames, faz se necessário então baseado na experiência de cada um procurar se aproximar dos indicadores seguros de avaliação.

O biomédico pode ter como função realizar uma triagem com o atleta, realizando todos os exames laboratoriais necessários, realizar orientação para os atletas para evitar doenças como, por exemplo, diabetes, colesterol, hipertensão etc.., que podem afetar o seu rendimento durante o treino; juntamente com um profissional de educação física orientar de forma simples e efetiva de como correr dentro de uma zona de freqüência cardíaca adequada assegurando uma intensidade apropriada para melhores resultados e sem causar  dano para seu corpo e sua saúde e orientar os vários fatores que podem influenciar a frequência cardíaca durante a atividade física.


Autora: Ana Caroline Machado, acadêmica de Biomedicina

Orientador: Prof. André Bellin  Mariano, D.Sc.

Nenhum comentário:

Postar um comentário