domingo, 3 de abril de 2011

O Papel do Biomédico na Indústria


Segundo Revista do Biomedico, um profissional com visão ampla e desejada pelo mercado de trabalho em diversos locais de atuação. Esse é o perfil do profissional da Biomedicina, graças, principalmente, ao avanço da genética. Do campo de análises clínicas, diagnóstico de imagens, biologia molecular, pesquisas, reprodução humana, saúde pública, passando por indústrias alimentícias e farmacêuticas, até a bioengenharia. No total, são 29 áreas habilitadas na Biomedicina [1].
Com a economia crescendo, com o aumento dos empregos, com a ampliação da capacidade de produção das indústrias o mercado de trabalho torna-se cada vez mais exigente e competitivo, almejando profissionais qualificados para suprir as expectativas das empresas. A área industrial tem sido um dos ramos do mercado de trabalho que mais cresceu nos últimos tempos, e com o avanço das novas tecnologias tem mostrado a necessidade de profissionais especializados em inovações e criatividades para atender as demandas. Dentro de todos requisitos desejáveis  estão os profissionais da biomedicina, que trazem consigo uma bagagem de habilidades e conhecimentos. Altamente qualificados, os biomedicos podem realizar inovações dentro da indústria, atuando desde o controle de qualidade, implementação e implantação de POPs, pesquisas e desemvolvimento, auditorias entre outros.  São profissionais capazes de modificar  as técnicas utilizadas como por exemplo: atuando na implantação ou pesquisa de novos métodos analíticos ou validações analíticas, procedimentos operacionais e com isso diminuindo prejuizos industriais e aumentado significativamente a produtividade, competitividade para a empresa.
´´Segundo Revista do Biomedico`` A necessidade de se demonstrar qualidade torna-se cada dia um desafio empresarial para se tornarem mais reconhecidos, e isso se concretiza mais facilmente tendo um profissional da biomedicina para complementar, promover e garantir a qualidade [2].

Abaixo,  outras atuações do biomédico segundo Ministério da Educação nas Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Biomedicina [3]:

Acupuntura, Análise forense, Análises ambiental, Análises bromatológicas Análises clínicas (patologia clínica), Anatomia patológica, Banco de sangue Biofísica, Biologia molecular, Bioquímica, Citologia oncótica, Embriologia Farmacologia, Fisiologia, Fisiologia geral, Fisiologia humana, Genética Hematologia, Histologia, Imagenologia/radiologia, Imunologia, Informática de saúde, Microbiologia, Microbiologia de alimentos, Parasitologia, Patologia, Perfusão extracorpórea, Psicobiologia, Reprodução humana, Sanitarista, Saúde pública, Toxicologia, Virologia.

Referências Utilizadas:


1- Conselho Regional de Biomedicina - 1ª Região . A Trajetória do Curso de Biomedicina no Brasil: Origem e Situação Atual. Revista do Biomédico, nº 70. Página visitada em 20/03/2011.

2- Conselho Regional de Biomedicina - 1ª Região . Os Desafios dos Biomedicos. Revista do Biomédico, nº 80. Página visitada em 20/03/2011.
3- Ministério da Educação . Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Biomedicina. Página visitada em 27/03/2011.

Autor: Leila Santos, estudante de Biomedicina

Orientador: Prof. André Bellin Mariano, D.Sc.



Nenhum comentário:

Postar um comentário