domingo, 13 de março de 2011

Tecnologias Limpas e suas Implicações Sociais


Há termos que estão em voga e que se complementam em conceito e aplicação, termos como tecnologias limpas, bioenergia e energia renovável. Como é de conhecimento de muitos – mas não de todos – ainda hoje, utilizamos, como principal matriz energética, a queima – e essa palavra nos interessa – de combustível fóssil, não renovável e de elevado poder poluente. Não fosse a pressão econômica pelo capital amontoado nas reservas mundiais de petróleo, poderíamos, em médio prazo, alterar nossa fonte energética para energias limpas, e melhor ainda, renováveis. Há notícias e estudos que corroboram com o fato de que a humanidade, liderada pela comunidade científica, possui e domina as tecnologias necessárias para viabilizar tal idéia.
Tecnologias limpas, ou bioenergia, são formas de geração energética que geralmente, não poluem ou ao menos poluem menos que a queima dos derivados do petróleo. Tecnologias limpas são renovadas naturalmente e na maioria das vezes essa renovação pode ser controlada. As fontes mais usadas são: o Sol, o vento, a chuva, o movimento de marés, o calor da terra, e a biomassa 1. As fontes de energia possuem alguns aspectos positivos e negativos bem conhecidos e usados como balanço para geração energética. A energia eólica não emite poluentes e é uma fonte abundante e renovável. Porém não é previsível afetando diretamente o planejamento do setor energético. O uso de biomassa, por sua vez – que é o acúmulo da energia solar em matéria orgânica – tem grandes possibilidades de aproveitamento de resíduos industriais, possui regularidade de produção e seu balanço de emissões de CO2 é nulo. Em contrapartida possui custos elevados por MW produzido, necessita grande armazenagem e uma maior probabilidade de emissão de partículas para a atmosfera 1.
Os custos de investimentos em energias renováveis são, de fato, variáveis e se utilizadas, tem grande impacto na sociedade como um todo. Para se ter uma idéia “os custos dos biocombustíveis líquidos fica em torno de 0,8€/L, e são – ainda – significativamente mais elevados mais elevados do que os custos de produção e distribuição da gasolina e do diesel”, que gira respectivamente entre 0,4€/L e 0,3€/L. Além do fator econômico há de se discutir a eficiência econômica e energética desses compostos e tecnologias (PROGRAMA ALTENER, 2004), pois há combustíveis líquidos renováveis que para serem sintetizados poluem mais do que evitarão poluir com seu respectivo uso, tornando-se ineficiente energeticamente e ambientalmente. Há ainda que salientar e discutir o impacto social pela implantação dessas tecnologias, que é o mote principal desse texto. No setor agrícola teríamos alta geração de emprego, onde 28% dessa mão-de-obra seria absorvida para a fabricação de biodiesel e 72% dela para produção de matéria-prima, sem deixarmos de citar uma maior distribuição de renda, elevação do desenvolvimento tecnológico agrícola e promoção da fixação de pessoas no campo, que sem dúvida é um problema notável em nosso país. Só na cadeia produtiva do biodiesel que envolve: produção de matéria-prima, transporte da mesma, beneficiamento, esmagamento e usina, transporte do produto acabado e mercado local haveria geração de 1,3 mi de empregos (FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS, 2008), números dignos de campanhas políticas. Outro ponto interessante é a geração de riqueza para a agricultura familiar, já que 20% da matéria-prima para a fabricação de biodiesel, no Brasil, provêm de agricultura familiar. Sem deixar de relevar melhorias na saúde e meio-ambiente e investimento estatal de cerca de R$ 14,85 bi para a produção de óleos vegetais até 2020, motivando desenvolvimento de regiões menos favorecidas.
As expectativas futuras são de utilização de até 95% de energias renováveis para suprimento da demanda energética 2. Dado relevante, o último exposto, já que o Brasil esta na vanguarda desse setor no mundo, como afirma o ex-presidente da Costa Rica José María Figueres3. Se investido for em: profissionais e setores como os da Biotecnologia, Engenharias e disciplinas correlatas – já que é eminentemente um setor multidisciplinar – podemos esperar um futuro muito mais verde e limpo, tão limpo quanto as tecnologias que tais profissionais podem desenvolver, para todos agora, e para os que virão.
Você pode conhecer mais sobre esse assunto na disciplina de 'Tecnologias Limpas e Biocombustíveis' ministrada pelo Prof. André Bellin Mariano.

Referências utilizadas:






PROGRAMA ALTENER – Bioenergia: manual sobre tecnologias, projetos e instalação. União Européia. 2004. p. 120-121.
FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS - PROJETOS. Os benefícios do programa nacional de produção e uso do biodiesel (PNPB) para a sociedade e suas perspectivas para os próximos anos. Rio de Janeiro: FGV. p.5-6. p. 15 e 20, 2008.

Autor: Bruno Tavares, estudante de Biotecnologia e Bioprocessos

Orientação: Prof. André Bellin Mariano

Nenhum comentário:

Postar um comentário