domingo, 13 de março de 2011

A ATUAÇÃO DO BIOMÉDICO NAS ATIVIDADES ESPORTIVAS


Quando se fala em Biomedicina, a imagem que figura é a do desenvolvimento de pesquisas clínicas para tratamentos e diagnósticos de determinadas patologias. Entretanto, consiste de grande importância o estudo da fisiologia e do metabolismo dos indivíduos saudáveis, isentos de qualquer patologia. Surpreendi-me de uma forma muito positiva quando, no decorrer do curso deparei-me com a disciplina Biomedicina no Exercício do Esporte.
A atuação do biomédico abrange áreas que exigem conhecimento estratégico de anatomia, metabolismo, fisiologia, biofísica e química do indivíduo. Esse profissional é muito bem preparado para atuar como coadjuvante na prevenção e controle de patologias crônicas, como a Diabetes mellitus, a obesidade, as cardiopatias.
Deve-se enfatizar que a biomedicina aliada ao esporte vem para esclarecer a questão do uso indiscriminado de anabolizantes e corticosteróides por atletas ou esportistas. Estes, em muitos casos tornam-se reféns de tais procedimentos e não sabem os seus malefícios, criando assim um ceticismo comandado pela idealização de padrões estéticos atuais.
Outra situação é a falta de conhecimento de profissionais da área em relação ao histórico de vida do paciente. Quando realizam exames laboratoriais em pacientes atletas, há uma chance de uma interpretação errada dos resultados.
Na disparidade das profissões, o biomédico destaca-se com a eficiência exigida no contato com o paciente e estabelecendo uma ação de promoção humana aliada à qualidade de vida com reflexos na saúde do indivíduo.
Desta forma, pode-se inferir que a interdisciplinaridade da atuação biomédica consiste em um impacto cultural, educacional e por que não dizer social. Vivemos numa sociedade que se inclina a estereótipos de beleza divulgados pela mídia sem prezar pela saúde. Nesse contexto, vale dizer que a atividade física observada por um biomédico especializado em fisiologia do exercício é fundamental para melhoria de qualidade de vida da população.

Autor: Lealiz do R. Lazzarotto Freitas, estudante de Biomedicina

Orientação: Prof. André Bellin Mariano, D.Sc.



Nenhum comentário:

Postar um comentário